@poxaduduh: “Minha vida cabe em 140 caracteres e ainda sobra espaço”

Tamara Pinho

“Vou te contar a minha vida toda em 140 caracteres”, foi assim que Eduardo Guimarães começou.

Eduardo Alexandre Guimarães Almeida pode não ser muito conhecido quando dito assim, talvez seja melhor dizer Dudu, Du ou o mais conhecido, pelo menos na internet, @poxaduduh. Hoje em dia ele tem mais de 45 mil seguidores no twitter, sua popularidade na internet já lhe rendeu participações em programas de TV, apresentações de stand up comedia e idas às shows (como o Rock in Rio 2011), apenas para fazer divulgação em seu perfil na rede social. Mas, na verdade, se é que isso é possível, quem é o Dudu?

Dudu nasceu em 27 de julho de 1990, sexta feira, em Itabira, uma cidade do interior de Minas Gerais. Quem o conhece hoje, jamais pensaria que ele estudou a vida inteira em um colégio de “Irmãs”, sempre foi aquele típico aluno do fundão, mas que no fim do semestre sempre tirava notas boas; ele diz que deve isso ao jeitinho brasileiro que sempre soube usar a seu favor. Às vezes era comparado ao Chaves (personagem do programa El Chavo del ocho), sempre fazendo uma piadinha, geralmente não tão engraçada, fora da hora, hábito que ele tem até hoje.

Ainda criança fez aulas de natação e logo depois futsal, deixou o último aos 9 anos, pois não queria acordar cedo para treinar, aliás acordar cedo continua sendo um costume que ele não possui. Mas voltando aos esportes, aos 10 anos começou a jogar vôlei e se apaixonou pelo esporte chegando até participar de campeonatos no interior de Minas, tanto pelo colégio quanto por um clube de Itabira. Parou com o vôlei aos 17 anos quando terminou o ensino médio. Foram sete anos no vôlei e, nesse mesmo tempo, ele também fez três anos de basquete. Quem o conheceu já na faculdade, e acha que ele tem cara de nerd, jamais diria que ele praticou tantos esportes.

Na adolescência Dudu gostava de história e redação, pensou em fazer história e no ensino médio chegou a dar aulas particulares de reforço da matéria. Mas sua paixão sempre foi a televisão, ele conta que era o tipo de criança que só saia para brincar quando acabavam todos os seus programas favoritos na TV. Na adolescência preferia assistir novela a sair com os amigos para o bar, tudo que ele pudesse deixar para fazer depois de seus programas, ele fazia.

Nessa época Dudu já mostrava que gostava do universo da internet para expor coisas sobre o seu cotidiano. Antes do Orkut, Facebook ou Instagram serem redes sociais famosas, muitos adolescentes usavam o Flogão (rede social onde o usuário pode publicar 2 fotos diárias). E Dudu não era diferente, com 15 anos ele tinha uma conta, que existe até hoje (só existe ainda porque ele perdeu a senha).

A foto abaixo é do seu flogão e sempre é motivo de zuação por partes dos seus amigos, que sempre o lembram do “Eu na árvore”.

"Eu na frente da árvore" "'Eu na frente da árvore' Voltei com o flog... E essa foto tirei na roça.. (Q lugar propício para uma foto..) Mas enfim... Comente E eu pus até efeitozim....". Foto: Divulgação. “Eu na frente da árvore” é um clássico dos micos que uma pessoa pode ter, é o típico “seu passado te condena”, algo que você fez, tem vergonha, mas que sempre tem alguém que vai te lembrar daquilo, tipo a relação da Xuxa com o filme para adultos que ela protagonizou. A diferença é que Dudu, ao mesmo tempo que tem vergonha ele não tem, afinal de contas se tivesse não seria nem jornalista e nem pseudo humorista, sempre que alguém pergunta o endereço do Flogão dele, responde na hora: Eedualex2707, sem vergonha das pérolas que são encontradas por lá.

Seus próprios amigos adoram “zuar” com essa fase da vida dele, e sempre que podem fazem alguma homenagem envolvendo a tal foto e a frase “Eu na frente da árvore”. Como no seu aniversário, em que a famosa foto ganhou uma versão digna da ocasião.

"Eu na frente da árvore" - edição aniversário "Eu na frente da árvore" - edição aniversário. Foto: Divulgação. Ao terminar o ensino médio já estava certo de que queria ser jornalista. Como não passou em nenhuma universidade pública de início, começou o curso na faculdade Pitágoras de Belo Horizonte. No meio do período a UFOP anunciou que com o Reuni, o curso de jornalismo seria implementado no campus de Mariana. Ficou o mês todo do fim do semestre estudando para o vestibular, mas infelizmente não conseguiu ser chamado. Como faltaram poucos para chegar à vez dele, resolveu trancar a faculdade particular, e matriculou-se no cursinho pré-vestibular.

“Meu pai me disse: ‘Eu vou te tirar da faculdade, mas você não volta pra uma particular nunca mais’. Acho que esse medo me fez estudar mais ainda, haha. E dessa vez passei, pra segunda turma de jornalismo da UFOP”.

Cursando jornalismo novamente, e dessa vez em uma Federal, Dudu, no segundo período do curso, conheceu o twitter. No começo tinha poucos seguidores e ninguém dava muita ideia para ele, afinal de contas para que seguir um simples estudante de jornalismo, desconhecido e metido a engraçadinho?

Quando a novela Viver a vida (Rede Globo, 2010) começou, ele viu na personagem da atriz Klara Castanho (Rafaela) uma oportunidade de fazer “graças” no twitter, então criou o perfil @apestedarafaela onde ele fazia piadas sobre a própria novela, como se fosse a personagem. Com suas piadas e comentários chamou atenção de personalidades já famosas no twitter como o blogueiro Hugo Gloss e a socialite Narcisa Tamborindeguy que começaram a retweetar (RT) os seus tweets, e em três meses ele já tinha mais de 25 mil seguidores. Ele conta que foi aí que entendeu o porquê dos seguidores, “é muito mais fácil e interessante seguir um personagem que algum “famoso quem”.

Após o fim da novela e com um número significativo de seguidores, Dudu resolveu assumir quem era e passou a usar o perfil @porradudu, que depois virou @poxaduduh, o que ele utiliza até hoje. Mesmo usando um perfil com sua identidade “verdadeira” conseguiu manter os seguidores. E, com isso, várias oportunidades surgiram. Primeiramente na comédia, alguns humoristas começaram a segui-lo e a criar vínculos amigáveis com ele, com isso ele já se apresentou, como amador, na Seleção do Humor, Comedians e o Segundas Cômicas em São Paulo. Além de abrir um show de stand-up para o comediante e apresentador Danilo Gentili.

Em 2010 Dudu recebeu o primeiro convide para participar do Teleton que tem o intuito de arrecadar doações para a AACD, programa exibido no SBT, porém não pode participar por problemas com a conexão do avião. Em 2012 finalmente ele conseguiu participar do programa, fazendo parte da bancada da internet, que reunia personagens e personalidades que se destacavam nas redes sociais. “Foi uma das coisas mais incríveis que já participei… ver o programa ao vivo, sendo realizado e ainda com o intuito que o programa tem, de ajudar a AACD é sensacional. Além, é claro, de conhecer o SBT.” Ele lembra que desde criança sempre assistia ao Teleton, então fazer parte dele foi uma grande honra.

Dudu, durante o Teleton 2012 Dudu participando do Teleton 2012 juntamente com outras personalidades da web.

Na mesma semana do Teleton ele integrou a mesa vermelha do programa Agora é Tarde, comandado pelo Danilo Gentili. Sua participação tinha o objetivo de divulgar o Teleton. Apesar de não ter sido uma de suas melhores apresentações, segundo ele não foi tão boa porque cortaram uma de suas piadas, (mas existem controvérsias a respeito dessa afirmação) a experiência que ele teve já valeu a pena.

Com o twitter também surgiu o convite para integrar o projeto do Multishow chamado “Outros 500” que reunia 500 perfis interessantes da web; graças ao projeto ele foi ao Rock in Rio 2011 de graça.

Dudu ressalta que a visibilidade que ganhou na internet foi muito boa, às vezes até se assusta quando vê que pessoas realmente famosas o seguem. Graças a essa visibilidade ele teve a oportunidade de conhecer pessoas como Paulinho Serra (VJ MTV), Alinne Rosa (Cheiro de Amor) e o próprio Danilo Gentili. “É legal ver essa repercussão principalmente quando eu estou no interior de Minas e se não fosse à internet eu provavelmente precisaria passar por algum momento constrangedor pra ser famoso no Youtube ou procurar uma namorada na Eliana (não que eu tenha descartado essa ideia)”.

Apesar de todos os benefícios que a internet proporcionou, também existem os pontos negativos de toda a exposição que existe nesse meio. “Muitas vezes eu escrevo algo que é mal interpretado por outras pessoas, e sou obrigado e ler a resposta deles me xingando ou ofendendo de qualquer maneira que seja. Ou às vezes eu realmente falo mal de alguma coisa e tenho que aceitar a resposta. Não que isso mude o que eu penso ou me faça repensar algo, não dou importância, haha”.

Durante a graduação, Dudu ganhou prêmios regionais e nacionais em congressos de comunicação. Possui o diploma de jornalista, porém como não conseguiu emprego, começou pós-graduação em Rádio e TV, em agosto de 2013, “para voltar a ser chamado de estudante e não de desempregado”. Ainda mantém seu sonho (desde criança) que é trabalhar na TV.

Afinal de contas quem é o Dudu? Em seus 23 anos já fez até bastante coisa. Mas vou dizer quem realmente é o Dudu, ao menos para mim.

O conheci no começo de 2013 em uma visita técnica, quando ainda era aluno da UFOP. Dudu sozinho já é sinônimo de cilada, quando estamos os dois essa é multiplicada por mil, de ônibus quebrado na BR de São Paulo à caronas de madrugada de Ouro Preto para Mariana.

"Dudu e eu no Egito". Viagem citada onde conheci "Tutu" "Dudu e eu no Egito". Viagem citada onde conheci "Tutu". Foto: Divulgação.

Ele saiu de Mariana, mas ama tanto esse lugar que não fica 15 dias sem vir aqui. Desde que descobriu a nossa república não sai de lá, já chega e pede para combinar o almoço do outro dia, ou apenas para fazer uma visita (que já não é mais visita devido a frequência com que ele vai lá). Sempre levando as coisas na brincadeira. Dudu é esse cara que quando é “zuado” em vez de ficar com raiva arruma mais um motivo para “se zuar”, tipo a frase “se for falar mal de mim, me chame, sei coisas terríveis sobre mim mesmo”. Chega na casa dos outros pela primeira vez e já abre a geladeira, já toma posse do quarto alheio, ou seja, é uma pessoa dada, dessas que não têm cerimônia; todos são seus amigos e ele é amigo de todos.
Mas que lá no fundo, bem no fundo mesmo, consegue ser engraçado e divertir aqueles que estão a sua volta, quando solta, por exemplo, uma frase como essa: “Tenho uma notícia boa e uma ruim, a boa é que vou começar a trabalhar, a ruim é que vou começar a trabalhar”. Porr… ops, poxa Dudu!

Eduardo Guimarães, jornalista desempregado e sub webcelebridade Eduardo Guimarães, jornalista desempregado e sub webcelebridade. Foto: divulgação.

PS: Perfil orientado pelo professor Reges Schwaab, na disciplina Redação em Jornalismo II (2013.2)

Tamara Pinho

Tamara Pinho - Estudante de Jornalismo da UFOP, bolsista na assessoria de comunicação da mesma instituição e membro da comissão organizadora do 9º Encontro Nacional de História da Mídia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *